quarta-feira, 27 de maio de 2015

Fado

Hoje, ao acordar, abri os olhos.... vi a luz maravilhosa de um lindo dia de sol a começar, reflectida através da cortina do quarto sobre as borboletas penduradas na parede amarela. Comecei o dia a tirar fotografias a luz e sombras. Fez-me lembrar outro quarto, outro lugar, outra época, outras pessoas, outro eu. Tive saudades de tudo, das pessoas já não estão cá, das que estão longe, das que estão perto mas longe e até das que vejo todos os dias.... Tenho saudades até do meu eu mais selvagem, que ainda não entendia bem porque é que o mundo não podia ouvir o que tinha para dizer? Tenho saudades do tempo em que todos sabiam dizer "gosto de ti"...." Tive saudades tuas" ...... "A minha Dolitas"...." A nossa Dolitas"..... " não vens?! Estás doente?! Então vamos todos aí para casa" .....
Tenho saudades de andar o dia inteiro de mãos dadas e abraçada ao meu grande amigo, que todos julgavam de namorado, mas que passou de muito mais que isso, amizade de uma vida.....passávamos o dia as gargalhadas.... Lembraste?
Tenho saudades da inocência de saber muito pouco e acreditar em tudo. Tenho saudades de saltar pela janela para ir ter com o rapazinho ou para ir para o bailarico! O que eu tenho saudades dos bailaricos! O grupo dos fins de semana do baile já era grande! Com o pequeno pormenor de que parte da população masculina do grupo não dançava, pagava entrada pela companhia e pelos copos! Tenho saudades de dançar a noite toda que nem doida!
Tenho saudades de ter bichos por todo lado, cães, gatos, ouriços cacheiros, peixes..... Tenho saudades de não matar os aranhiços bebés e quando apareciam verdadeiros monstros no quarto berrar pelo meu irmão para os ir buscar.....uma nota, ele não os matava, apanhava o monstro e colocava na rua! Ainda hoje faz isso!
Tenho saudades de ter férias gigantes e apesar de não ter mar perto ía todos os dias para o rio! Tenho saudades de percorrer o rio com os meus primos para encontrarmos o melhor lugar para o banho, escusado será dizer que era porque não queríamos dividir com todos os outros que já se encontravam na partes boas conhecidas.....queríamos ser os exploradores do rio Sátão! Nem das cobras tínhamos medo!! Lol
Tenho saudades do mundo nessa altura. Altura em que se faziam fogueiras gigantes no S. João e os meus vizinhos me pegavam nos braços....eu era pequenina...para saltar as ditas fogueiras! Tenho
saudades de ir buscar rosmaninho á floresta para as ditas fogueiras!
Tenho saudades de me enclausurar em casa para estudar para os exames, e o resto do pessoal, de 5 em 5 minutos estar a bater á porta, com a típica pergunta..... " vamos comer?" ..... Coimbra ....por alguma razão engordei no primeiro ano!! Quando se fazia leite creme as tantas, para além de se escolher a colher maior da gaveta, e de comerem todos do mesmo sítio, não havia namorado que telefonasse e convencesse.....looool....ninguém atendia o telefone enquanto existia o doce!! Com o risco de voltar do telefone sem nada para comer!!
Saudades de acordar e ver um sorriso ensonado estampado na cara! 
Saudades de voltar a acreditar..... 
Saudade de escrever poemas românticos, muito bons por sinal, e me serem roubados pelos amigos para oferecerem as apaixonadas!! Saudades de receber poemas! 
Saudades de entrar numa sala com uma turma nova e completamente desconhecida para mim, não ter cadeira, e um menino de cabelos compridos se levantar e me dar a dele, devo ter passado por todas as cores do arco-íris......ainda hoje somos amigos! 
Saudades da espontaneidade do mundo de mostrar o que sente quando sente! 
Saudades de realmente acreditar que podia mudar o mundo, que podia fazê-lo entender que o caminho é outro! Mas passei a perceber que todos e cada um de nós tem o seu caminho e o seu tempo...... Até eu! 
Foi o dia da saudade de mim, de ti, do mundo, de tudo! 

Enviar um comentário