domingo, 18 de janeiro de 2015

A procura do êxtase

Li um artigo sobre os novos nómadas, que me chamou a atenção porque obviamente sempre foi algo que tive vontade de fazer, eu, uma mochila, o Ipad......lol... de coração aberto para receber o mundo! Como sempre fui uma pessoa muito desprovida daquele sentimento de ter que ter e viver com o que quer que seja, seria fácil, colocar o mínimo e indispensável numa mochila e partir para onde quer que seja, o que sempre me assustou sempre teve haver com a segurança mais básica associada ao facto de ser do sexo feminino. Facto esse que me assustou o suficiente para me tirar a coragem de o fazer. Se bem que no TPM qualquer gaja fica muito mais perigosa e irracional que qualquer outro parvo que lhe apareça pelo caminho....continuando....isto foi só um aparte!
Mas os intitulados novos nómadas ou nómadas modernos, tem empregos que muitas vezes lhes permitem nunca estar muito tempo no mesmo local, ou que lhes dá a facilidade de trabalharem Apartir  de qualquer lugar do mundo, isso seria o ideal. Existem pessoas que há anos não passam mais de 3/6meses na mesma cidade/país. Um deles disse uma coisa muito engraçada, disse que se tinha viciado completamente naqueles primeiros sentimentos de quando se conhece algo novo e extraordinário, sem resistências absolutamente nenhumas. E que isso acontece exactamente nos primeiros 3 meses da chegada a uma cidade nova, tudo é novo, pessoas, locais, cultura, histórias, cheiros, existe aquela sede de aprendizagem, de reter tudo.... 3 meses é o ideal para não sermos propriamente turistas, para conhecer bem a rotina do local, para fazer inclusive algumas amizades.....os bónus da viagem....tudo sem apego. 
A visão deles é interessante, uma boa maneira de treinar o desapego e nunca entrar na rotina. Um diz também, que inicialmente ficava triste porque os amigos deixavam-lhe de ligar, mas que depois percebeu que as amizades ficavam " congeladas" e que acordavam assim que ele voltava, eu diria que as verdadeiras amizades são mesmo assim, não interessa a proximidade física das pessoas que gostamos, nem quantas vezes falamos com eles, quando gostamos de verdade é para sempre independentemente de tudo o resto. Amigos são mesmo aqueles que sempre que nos encontramos nada pareceu mudar, a festa é sempre a mesma, quer estejamos afastados á um dia ou á um ano...
Apesar de os admirar, ainda por cima porque adoro viajar e quanto mais diferente for a cultura maior a aprendizagem, percebo muito bem o sentimento de êxtase quando nos deparamos com algo novo, mas.....tinha que haver um mas... Esse sentimento não deveria estar sempre connosco?! Independentemente se estamos noutro país, noutra cidade ou na nossa própria cidade aquela a que chamamos de casa?!
Sentirmos isso sempre que presenciamos mais um nascer/ pôr-do-sol, não só quando estamos na presença de novos estranhos, mas sim sempre que olhamos mais uma vez para uma cara muito conhecida nossa?! Nunca ficaram ao longe a olhar para alguém que conhecem tão bem que já sabem inclusive o que ele vai fazer nos próximos segundos, com um sorriso na cara?! 
É muito bom sairmos da zona de conforto, colocarmos não um, mas sim os dois pés no desconhecido e irmos a aventura, em qualquer parte do mundo, inclusive á porta de nossa casa ou mesmo em nossa casa! 

Enviar um comentário