sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Um filme com "palavras de livro"

IPor falar em filmes que nos fazem parecer " madalenas arrependidas" .....temos o que acabei de ver, " A rapariga que roubava livros" .... Não é um filme, é um livro de capa rija e imagens.....
Já há mesmo algum tempo que não via um " livro" tão bom.... Uma grande história muito bem contada com palavras deliciosas de se ouvir com uma imagem fabulosa.
Ainda não o tinha visto, porque já lá vão uns anos que filmes de tamanha violência me fazem alguma confusão, ou não fosse eu um espírito pacifista, mas este parecia-me mais um poema em tempos de guerra, e como adoro livros, não só ler, adoro ler, abrir, cheirar um livro... Adoro o som das páginas a passar de um livro. Não vale a pena me emprestarem um livro, se gostar da história, tenho que o ter na estante! Não sou absolutamente nada materialista ou possessiva ou egoísta .... Mas com os meus livros a coisa muda de figura!
Leio qualquer coisa, mas adoro poesia, um romance bem contado, ou então fantasia..... Costumavam-me perguntar, porque fantasia?! A qual eu sempre respondia, porque leva um pouco mais longe a minha imaginação.... Novos mundos, novos seres, novas e diferentes maneiras de se viver!
Já há algum tempo que não leio, não me consigo concentrar o suficiente, desde que a minha melhor amiga não está cá.....desde que o meu grande amor não está por aqui..... Mas acho que isso está prestes a mudar!
E vou começar exactamente pelo que já me acompanha a algum tempo e já conhece os meus caminhos melhor que eu..... E tem claro que voltar para a dona que me o emprestou a exactamente um ano na sua tentativa de me acompanhar e animar um pouco..... " A Ilha" de Victoria Hislop.
 Eis aqui algumas palavras que me apaixonaram:
...." Tudo começou com um comboio, alguma neve e o meu irmão ....... Fora da carruagem o mundo parecia estar dentro de um globo de neve....e num sítio chamado Rua do Céu, um homem com coração de acordeão e uma mulher coberta de trovoada esperavam a sua nova filha ..... Ele viveu debaixo das nossas escadas como uma coruja sossegada sem asas, até o sol se esquecer da sua cara"..... E tudo narrado supostamente pela "Morte" ... Apaixonante!




Enviar um comentário